Abandonando a imagem, recém criada, de bom moço, José Serra simplesmente chuta o balde e diz que a Bolívia é cúmplice do tráfico de drogas. Mas ele tem razão?

É comum à nós, brasileiros, o pensamento de que Coca serve apenas para ser transformada em Cocaína. Normal, portanto, o pensamento de que a Bolívia, país cuja cultura está intimamente ligada à Coca, seja produtora de cocaína.

Então, para não me chamarem de parcial, resolvi pesquisar a este respeito, com uma organização que costuma ser bem mais imparcial que qualquer um de nós, essa tal de Nações Unidas.
O relatório de 2008 {{não acredite em mim PDF}} trás a seguinte informação:

Com base nas apreensões individuais reportadas ao UNODC, a maior parte da
cocaína interceptada na Europa em 2006 partiu dos seguintes países: Venezuela
(36% das apreensões), seguida da Colômbia (17%), República Dominicana (5%),
Brasil (3%), Equador (3%), Argentina (3%) e Peru (3%). O ranking de 2007
também começou com apreensões que partiram da Venezuela (44%), seguida do
Panamá (11%), Colômbia (5%), República Dominicana (4%), Peru (4%), Brasil
(2%),
Argentina (2%), Bolívia (1%), México (1%) e Costa Rica (1%). (p. 77)

Ou seja, segundo as apreensões feitas pela polícia internacional, aquela pouco confiável INTERPOL, o Brasil exporta o dobro de cocaína para a Europa do que a tal Bolívia.
Mas vamos adiante…

O Sudeste e o Sul do Brasil são as áreas mais afetadas pelo consumo de cocaína. O
uso na vida de cocaína no Sudeste do Brasil é de 3,7% da população entre 12-65
anos.

Foi relatado aumento de atividades de grupos ligados ao tráfico de cocaína nos estados da região Sudeste do país, o que pode indicar que há mais cocaína disponível nessas áreas.
O território do Brasil tem sido crescentemente explorado por grupos do crime
organizado internacional que buscam pontos de trânsito para os carregamentos de
cocaína que vêm da Colômbia, da Bolívia e do Peru e seguem para a Europa

Repare nos números em verde e você notará que a Colômbia produz 5 vezes mais que a Bolívia. O Peru 4 vezes mais.
O relatório sugere que os 3 países exportam ao Brasil, que também produz, cocaína.
A frase do trapalhão Sr. Burns é que 80% a 90% da cocaína consumida no Brasil vem da Bolívia.


Já provei que ele está errado, agora vamos ao que eu gostaria mesmo de dizer.

Supondo que ele ganhe as eleições, e venha mesmo a ser presidente, imaginem vocês que ele precise negociar com a Bolívia.

Como chegaria o presidente de um país que foi chamado de cúmplice de traficantes para negociar com a pessoa que o categorizou desta forma?

Ainda que fosse verdade, já vimos que não é, este é o tipo de afirmação que se faz apenas ao outro presidente e de maneira reservada, se é que é o caso de se afirmar isso.

Para um candidato cujo mote é a experiência política me preocupa muito este tipo de afirmação. Fato que não justifica a resposta petista dizendo que ele é um “Exterminador da política externa”.

Hasta la vista, baby!
Compatilhar
Share
É curioso o bastante para falar sobre qualquer assunto e inteligente o bastante para saber que quase sempre estará errado.
  • Hey!!Fazia um tempo que não passava por aqui, por isso estou comentando num post antigo!Eu entendi o que você quis dizer, e não discordo… Fiquei apenas com uma dúvida em relação ao seu método para provar que o Serra estava errado… O documento da ONU diz respeito aos carregamentos apreendidos na Europa, não?Então a droga que vem direto para o Brasil, partindo dos outros países sulamericanos, não poderia se enquadrar em outros números,não nesses?Beijos!

  • @MarinaOi Marina,Não é uma comprovação absoluta mas são números proporcionais, a rota 'de fuga' das drogas passa pela América do Sul e, como você pode imaginar pela geografia, pelos portos brasileiros.Não há uma estatística da ONU para o assunto, infelizmente.O Brasil deveria ter esta estatística mas também não há.Bem notado!bjks