Com uma das polícias que mais mata no mundo {{não acredite em mim – IG; não acredite em mim – R7}}, Geraldo Alckmin parece ter licença para matar. Mas como isso ainda é pouco, em meio às investigações sobre a quadrilha e os atrasos no metrô, Geraldo Bond {{ou James Alckmin?!}} tornou sigilosas as fontes de informação sobre gastos públicos.

{{não acredite em mim – folha}}

Mas, né? Porque alguém iria querer saber como o governo do Estado de São Paulo está usando o dinheiro público? Se pedalada fiscal é motivo pra discutir impeachment, isso aí seria motivo para fuzilamento, né? Mas não para ele. Ele é James Alckmin, o governador secreto.

Premiado por deixar o Estado sem água, ele vai além! Ele vai fechar também escolas! Não sabia ? Pois fique sabendo.

O imprenÇa adentrou o submundo da secretaria estadual de educação e descobriu sigilosas informações:

Com foco na qualidade de ensino, Educação anuncia uma nova organização para a rede

Nosso agente secreto é malandrinho, como se sabe. E por nova organização você pode entender aí que a resposta é “bora fechar escolas!”. Duvida? Não duvide, veja com seus próprios binóculos ultrassecretos:

{{não acredite em mim – QG do agente secreto}}

Ah, mas a análise disse que caiu o número de estudantes em idade escolar… Bem, vejamos:

Claro, se você perguntar o pródigo agente duplo responderá que não haverá corte, que as vagas serão remanejadas, que bla bla bla whiskas sachê. Mas aparentemente não é o caso.

Mas, considerando que o mesmo 007 afirma ter crise, porque é que a mesma crise não acarretaria num aumento de procura por escolas gratuitas ou, como gostamos de dizer, da rede estadual ?

{{não acredite em mim – Estado}}

Ah mas o estudante e seus pais poderão escolher a escola mais próxima para a reformulação {{risos}}, certo ? Bem…

{{não acredite em mim – QG do 007}}

Posso escolher minha nova escola? Não, [email protected] Isso é SEGREDO.

Sobre os documentos sigilosos do metrô, a resposta é divertida, para falar o mínimo:

A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) diz que os documentos do transporte metropolitano foram classificados como sigilosos com a intenção de impedir que fossem acessados por pessoas “mal-intencionadas” ou “inabilitadas”.

Entendeu ? Pessoas inabilitadas. São as pessoas que não sabem nada sobre o tema. E quem teria pedido o sigilo? Chupa essa manga, campeões:

A secretaria afirma que a classificação de sigilo, feita diretamente pelas empresas subordinadas à pasta, levou em conta entendimento de que documentos técnicos de engenharia contêm detalhes que podem oferecer riscos.

Quem pediu foram as empresas da quadrilha!!! Há, não contavam com a astúcia do nosso 007! Mas tudo bem, nada que não possamos ficar sabendo só em 2039, né ? Isso se ninguém pedir a prorrogação do sigilo.

Achou pouco ? Então durma com esse barulho:

Sobre a questão da educação, o blog enviou um e-mail para a assessoria de imprensa e não obteve resposta até o fechamento da matéria.

Mas como o blog também é um espião de prima, já sabe o que será respondido:

Vai fechar escolas ? “não vamos falar de fechamento, outros prédios serão disponibilizados, bla bla bla whiskas sachê”

Vai demitir professores ? “é preciso coragem para mudar, bla bla bla whiskas sachê

Em tempo: a matéria foi fechada às 14h12.

Atualização: A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo respondeu ao blog:

Os questionamentos do blog foram:

– Quantas escolas serão fechadas?
– Quantas vagas serão cortadas ?
– Professores serão demitidos ?

A resposta:

A Secretaria da Educação do Estado esclarece que o estudo que definirá as escolas para o processo de reorganização está sendo finalizado. Nem todas as unidades passarão pelo processo e escolas com mais de um ciclo ainda funcionarão, devido às diferenças demográficas e as necessidades por escolas para diversas faixas etárias em algumas regiões. O projeto de reorganização é embasado em estudos educacionais e tem como objetivo melhorar a qualidade de ensino. Indicadores da secretaria e do próprio Inep apontam que escolas de ciclo único têm resultado 10% superior às unidades de três segmentos. Dados da Fundação Seade mostram que nas escolas estaduais há 2 milhões a menos de estudantes em comparação a 1998. O plano tem como objetivo oferecer uma educação focada na faixa etária do aluno, respeitando sempre o módulo de estudantes por sala: 30 para o Ciclo I do Fundamental, 35 para o Ciclo II e 40 para o Ensino Médio e estabelece que a redistribuição dos alunos respeitará o limite de 1,5 km. A reorganização também visa aprimorar as condições de trabalho dos educadores, que terão a possibilidade de escolher mais aulas em uma mesma escola, tendo menos deslocamento e mais tempo para se dedicarem às atividades pedagógicas.

Além disso, a Pasta realizou o maior concurso da história do Estado com 59 mil vagas, visando a ampliação do quadro de professores efetivos, entretanto a figura do professor substituto é fundamental para garantir a continuidade das aulas com as ausências pontuais dos docentes. Projeto de lei da Secretaria, prevê, ainda, que os docentes substitutos atuem na rede por até três anos, dois anos a mais que o atual contrato.

No dia 14 de novembro que será realizado o “Dia E”, um megaencontro entre as escolas, pais e responsáveis da rede estadual de ensino, justamente para explicar o novo processo de reorganização. A data será uma boa oportunidade para tirar dúvidas, entender como serão feitas as transferências e quais escolas receberão alunos. A ação acontecerá de forma simultânea em todo o Estado.