Ministro da Saúde que acha que Constituição tem direitos demais; Itamaraty que concede passaporte diplomático a pastor da Assembleia de Deus; MEC propondo cobrança em universidades públicas; uma pequena amostra do que o governo Temer propõe ao país.

 

Quando este blog falou do – então possível – governo Temer e de sua Ponte para o Futuro, boa parte dos leitores chamaram de terrorismo. Mas nada como o tempo, para provar que o que foi chamado de terrorismo, era, na realidade, eufemismo.

O governo Temer tem se especializado em montar ministérios ruins. Por exemplo, na educação temos Mendonça Filho, do DEM. Em sua biografia consta denúncias na operação Castelo de Areia, quando 4 pessoas diferentes citaram seu nome como recebedor de propinas em forma de doação para campanha {{lembra alguém?}}, valor que chegou a 100 mil reais. É herdeiro do agronegócio, NUNCA trabalhou com educação antes. A Cultura, ministério extinto por Temer, também está sob seu comando.

Em tempo: Renan Calheiros tem pressionado pela volta do MinC e seu provável ministro seria João Batista, cineasta do ótimo “Homem que virou Suco”, filme sobre a ditadura.

Na saúde, Ricardo Barros, outro nome do agronegócio no governo Temer. Esse ainda mais espetaculoso, já chegou dizendo que o SUS precisa diminuir {{não acredite em mim – folha}} – coisa que diante da repercussão desmentiu no dia seguinte à entrevista – mas foi além: soltou a bonita pérola:

A Constituição cidadã, quando o Sarney sancionou, o que ele falou? Que o Brasil iria ficar ingovernável. Por quê? Porque só tem direitos lá, não tem deveres. Nós não vamos conseguir sustentar o nível de direitos que a Constituição determina.

Não é preciso lembrar quem pagou a campanha desse senhor, é? Bem, na dúvida, saiba você que a maior doação de pessoa física ao ministro, veio do presidente de um grupo de planos de saúde {{100 mil reais}}. Outros 2 milhões vieram, olha só, de empresas delatadas na Lava Jato.

Sobre o aborto? “Bem, é como o crack”, responde o Jeniu ministro. E diz que vai discutir o tema com… a mulheres? NÃO. Com as IGREJAS, claro.

{{não acredite em mim – UOL – grifos por conta do blog}}

E você acha que é pouco? Então vamos de José Erra {{mudou?}} :

O ministro do planejamento, Romero Jucá {{PMDB – RR}}, está na lista. Do Janot.

{{não acredite em mim – Estadão}}

Na justiça, o PCC. Digo, ex-advogado do PCC {{ não acredite em mim – Extra}}.  O coleguinha Careca de Moraes, amigo íntimo de Temer, amigo de Cunha, amigo dos Carecas do ABC amigo dos blindados israelenses {{contra o MPL, apenas.}}, amigo dos Mafiosos da Merenda, enfim amigão de uma turminha do barulho.

Note que ele disse que não advogava mais, não que não gostava de advogar pro PCC. Mas, enfim, deixa isso quieto que o Carecão é hómi brabo. Exceto, claro, quando o assunto são os… Ah, chá pra lá.

No Ministério das Cidades, Bruno Araújo {{PSDB – PE}}, outro que recebeu dinheiro de empreiteiras da Lava Jato,  informante americano, segundo o Wikileaks {{(C) Dep. Bruno Araújo (PSDB-Pernambuco) expressed confidence in his party’s ability to weather the Arruda scandal, and even saw the benefit in PSDB gaining at DEM expense – ou em bom português: O deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) manifestou confiança na capacidade do seu partido para enfrentar o escândalo de Arruda e ainda viu os benefícios para o PSDB às expensas do DEM – não acredite em mim – Wikileaks}}. Qual sua primeira ação como ministro?

{{não acredite em mim – Gazeta Online}}

O ministério que tem 7 investigados da Lava Jato {{ e a Dilma querendo por só 1 que nem era investigado oficialmente ainda… }}, zero mulheres, zero negros e zero legitimidade. É esse o retrato do desgoverno interino e farsante.

Seu líder na Câmara dos Deputados?

Que já propôs o fim do SUS – e voltou atrás -, que já afirmou que tá belezinha Universidade Pública cobrar mensalidade {{não acredite em mim – UOL}}, que já afirmou que vai criar a CPMF – e voltou atrás -, que vai discutir aborto com as igrejas. Bem-vindos ao governo Temer. O inferno é aqui.

{{Governo Temer, Dante não faria inferno melhor}}