Semana 11 do nosso Semanal do Retrocesso Paulistano e a cultura continua contribuindo com a gestão. São inúmeras vaias e protestos. Conheça também a bizarra Nota Fiscal do Milhão e as ciclofaixas para ciclistas fantasmas, inovação tecnológica da gestão Dória Jr. Acelera Retrocesso!

 

Cultura

 

As bibliotecas continuam sendo alvo de João Dória. Depois de pedir para que as empresas façam doações de títulos às bibliotecas –  o que indica que as escolhas de títulos não serão pela importância cultural, mas pela sua influência mercadológica – a última novidade é sobre a energia elétrica…

 

 

Além disso Dória deseja utilizar as bibliotecas para outras finalidades que não a de locais de leitura. O congelamento do orçamento da cultura {{43% do orçamento foi congelado}} faz com que as bibliotecas sejam utilizadas para shows, apresentações entre outras coisas, diminuindo sua função original. Some isso à nova oferta de títulos, à mercê do mercado, e teremos bibliotecas com menos livros e, principalmente, menor variedade de títulos.

A gestão de Dória na Cultura é alvo de elogios, não importa por onde ele passe…

Higienismo

 

{{não acredite em mim – folha}}

 

Os questionamentos dizem respeito à falta de embasamento teórico para o plano “Redenção”, além das agressões já denunciadas nos outros semanais.

O Cidade Linda continua seletivo… Na periferia não há sequer jardinagem, como denuncia a população:

Mobilidade Urbana

 

Como se viu, no último dia 15 houve uma enorme mobilização de trabalhadoras e trabalhadores em todo país contra a reforma da previdência. Qual foi a atitude do prefeito? Primeiro tentar inviabilizar a greve com uma bizarra multa de 5 milhões {{isso mesmo}} aos sindicatos envolvidos.

{{não acredite em mim – Exame}}

 

Ao mesmo tempo em que tenta criminalizar trabalhadores, Dória finge oferecer a chance dos munícipes tornarem-se milionários, num bizarro programa de capitalização municipal {{???}} chamado “Nota do Milhão da Prefeitura de São Paulo”

A ideia é uma cara nova ao “Nota Fiscal Paulistana” de Gilberto Kassab. Enquanto isso, as ciclofaixas superplanejadas de Dória, têm um requisito básico: ser ciclista fantasma:

 

Doações

 

Dória comemorou a vitória na justiça sobre um pedido de moradores da cidade, no qual a prefeitura teria de parar de aceitar doações de empresas, por considerarem que as contrapartidas não são claras, transparentes e, pior, poderiam ser ilegais.

Ao mesmo tempo em que comemorou isso, também não fez justamente o que se esperava, ou seja, a transparência a respeito das doações:

E por hoje é só, pessoal!

Faltou alguma coisa? Deixe um aviso nos comentários!

Compatilhar
Share
É curioso o bastante para falar sobre qualquer assunto e inteligente o bastante para saber que quase sempre estará errado.