Quando eu escrevi o post “Vale tudo. Até xingar este blogueiro”, pensei que as eleições haviam atingido seu limite de falta de conexão entre a realidade e as acusações, mas, como diz o ditado, ‘quando você acha que chegou ao fundo do poço, sempre descobre que pode ir ainda mais, que escrotidão!’. Ok, não é ditado, é uma frase do Bukowski.

Uma vez, quando eu iniciava minha vida política {{tinha 16 anos e ia começar a votar e, portanto, comecei a tentar entender a política}} fiquei sabendo de uma tentativa de golpe branco no Centro Acadêmico da faculdade de Direito do Mackenzie, em São Paulo.

Nunca havia ouvido falar de “golpe branco”, nem sabia que era possível fazer um golpe sem pegar em armas {{sempre fui ‘revoltado’}}. A expressão golpe branco, geralmente significa alguma manobra para que o candidato adversário não possa se candidatar.

No caso do Mackenzie em questão o candidato à presidência do Centro Acadêmico, ligado a um partido político, percebeu uma falha burocrática {{seu adversário entregou um dos documentos necessários fora do prazo, um dia depois do que deveria}}, e esperou para ‘alertar’ a faculdade dois dias antes do pleito.

Naquele caso o golpista, com quem me dava até bem, foi eleito.

Já está, a esta altura, o leitor e a leitora impaciente, querendo saber o que diabos isso tem com as eleições de 2010.

Como se sabe, foi quebrado o sigilo fiscal de Verônica Serra. O que não se sabe até aqui é quem tentou {{ou conseguiu}} quebrar o tal sigilo.

PSDB, claro, acusa o PT. PT alega não ter absolutamente nada com a história e alguns militantes ‘vermelhos’ começam a acusar o próprio PSDB {{seria uma briga entre Aécio e Serra}} de ter montado o esquema.

Onde estão os programas de governo?

Me pergunto a meses. Porque não são amplamente divulgados, por exemplo, no Twitter dos candidatos? Isso, pelo jeito, ficou para segundo plano.

O que acho realmente preocupante nessa história toda não é apenas a representação que o PSDB fez ao TSE, esperando impugnar a candidatura petista. É claro que o PSDB tem o direito democrático de acionar a justiça quando bem entender, mas a Folha de hoje trás o seguinte:folha_hoje{{não acredite em mim}}

A minha única pergunta é se Serra considera que foi o PT que quebrou o sigilo de sua filha {{e ele pode achar o que ele quiser, é livre para isso, inclusive para acionar a justiça}} porque esperou faltar 30 dias para as eleições para tentar impugnar a candidatura adversária?

Compatilhar
Share
É curioso o bastante para falar sobre qualquer assunto e inteligente o bastante para saber que quase sempre estará errado.