A situação deveria ser ridícula para os prefeitos todos que passaram por São Paulo e não conseguiram resolver de uma vez a questão, mas impressiona a força de vontade do sujeito para resolver o assunto.
   Conforme o blog já havia questionado, será que se fosse área de risco um sujeito como ele sairia? Repare no que ele diz no início:

 “Eu achava imperdoável…eu não achava justo você ficar de braço cruzado, ver a coisa acontecer e simplesmente ir embora…”

   Eu sei que a frase foi dita num contexto de enchente sem risco de deslizamento, mas ouvi muito as pessoas dizerem isso em Peruíbe, onde atuei pela Cruz Vermelha em 2007 / 2008. Não é uma questão de construir casas e dar, simplesmente, ou de dar auxílio-aluguel. É preciso conscientizar…

http://storage.mais.uol.com.br/embed.swf?mediaId=9057322

{{não acredite em mim – Uol}}