Para quem não se lembra, o título deste artigo é uma frase do então candidato José Erra em uma entrevista, na campanha de 2010, onde as perguntas não o agradaram.

Depois, o mesmo José {{candidato mais preparado do país}} Erra, abandonou a gravação do programa da Hebe Camargo {{não acredite em mim}}

José Serra e a Privataria Tucana

José Serra e a Privataria Tucana

Pois eis que no último dia 9 de dezembro, Amaury Ribeiro Jr. {{aquele que foi acusado de fazer dossiês contra José Erra – não acredite em mim}} lançou o “A Privataria tucana”, livro no qual… Bem, deixemos que o Estadão defina o livro…

A obra relaciona o ex-governador de São Paulo a esquema de desvio e lavagem de dinheiro do Banestado, alvo de uma CPI nos anos 1990, e acusa o tucano de usar arapongas para espionar adversários políticos.

O livro relata bastidores da disputa entre Serra e o então governador de Minas Gerais, Aécio Neves, pela candidatura do PSDB à Presidência em 2010. O autor conta que, quando atuava como repórter do jornal O Estado de Minas, recebeu uma pauta encomendada pelo governo de Minas para que investigasse a vida de Serra. O pedido seria uma retaliação, segundo o autor, à produção de um dossiê contra Aécio por arapongas ligados ao tucano paulista

{{não acredite em mim – Estado de SP}}

O livro foi bastante esperado e até posto em dúvida por algumas lideranças da blogosfera prafrentex.  O que diz muito destas lideranças, diga-se.

Mas, o lambe-botas preferido da dona Dilma {{ainda aguardo meu cachê}} estava falando de José Erra e o tal livro…

Serra sondou editor para barrar “Privataria tucana”

Serra sondou editor para barrar “Privataria tucana”

 

Segundo entrevista do editor Luiz Fernando Emediato, o livro {{15 mil exemplares no primeiro dia, que tal?!}} não teve nenhuma divulgação tradicional, embora seu autor tenha enviado uma cópia para a redação da Carta Capital…

mas todo o barulho foi feito na internet, inclusive por vocês que anteciparam o lançamento. O sucesso prova que há uma grande transformação na sociedade brasileira e revela a força da blogosfera.

{{não acredite em mim}}

Agora imaginem os senhores e as senhoras a seguinte cena: José Erra de pijama, tentando zerar Angry Birds, fica sabendo da existência de um livro que conta seus supostos podres… O que ele faz?

247 – Você sofreu alguma pressão para não publicar o livro?

Emediato – Eu não diria pressão, mas há alguns dias fui procurado por uma pessoa que propôs uma conversa com o ex-governador José Serra.

247 – Quem foi?

Emediato – Era o Antônio Ramalho, um sindicalista do PSDB que é vice-presidente da Força Sindical.

247 – Você se sentiu intimidado?

Emediato – Não foi exatamente uma intimidação, até porque a abordagem do Ramalho, de quem sou amigo, foi muito elegante. Sentamos, tomamos um café, ele disse que o Serra queria conversar, eu disse que não e pagamos a conta. Num país democrático, quem se sentir incomodado tem o direito de me processar. Teve uma vez que o Guilherme Afif (vice-governador de São Paulo) veio me atacando aos berros, mas eu não dei muita bola.

{{não acredite em mimgrifos por conta do lambe-botas aqui}}

Como a tentativa não deu certo, o Mais Preparado Candidato da História desta Gloriosa Nação resolveu tomar uma atitude ainda mais séria! Claro, tudo dentro da legalidade, que esse negócio de ilegal é coisa de petista safado…

Serra tenta comprar estoque de livro bomba

Serra tenta comprar estoque de livro bomba - {{não acredite em mim}}

Se eu fosse ele, ficava só com o “Finge que eu não vim”…

Compatilhar
Share

É curioso o bastante para falar sobre qualquer assunto e inteligente o bastante para saber que quase sempre estará errado.