Uma Barbie negra! A beleza negra é linda e essa Barbie representa a beleza negra! Que lindo! Que atitude linda da Barbie! Vamos quebrar preconceitos!

A foto da Barbie negra está circulando no Facebook e, ao que parece, a maioria das pessoas está achando o mundo perfumadamente correto, como se essa Barbie fosse mais um passo na direção de um mundo sem racismo. Será?

Uma Barbie idêntica ao padrão de beleza imposto pela Barbie representa a beleza negra? Por que o cabelo está alisado e o nariz finíssimo? Cadê os traços que caracterizam a população afrodescendente? Aliás, que Barbie representa a beleza da mulher brasileira?

Escurecer a cor da pele da boneca é fácil.

Os tropeços começam quando as mulheres, iniciadas pelas Barbies, jogos de panelinha, maquiagem e esmaltes especialmente desenvolvidos para crianças, crescem certas de que a beleza depende do cabelo liso, dos olhos claros, do sorriso perfeito, do corpo sarado, do nariz fino, da pele clara. Ser mulher fica restrito a uma genética e um estojo de maquiagem para corrigir o que se chamam de imperfeições e, desde a adolescência, as revistas femininas trabalham duro na distribuição de dicas para um inalcançável ideal de beleza.

Ensinamentos sobre o que é ser mulher estão fadados ao fracasso. Felizmente não tem fórmula pronta. Mas se for para tentar transmitir algo à pequenina, diga a ela que é possível ser livre. A beleza é consequência.