José Erra, para variar, errou. Errou ao dizer que não seria candidato. Não porque o povo vai ficar bravo com ele por conta disso, mas porque o seu próprio partido, o PSDB, acreditou. Erro grave, Erra. Muito grave.

José Erra errou ao anunciar sua candidatura com pelo menos dois meses de atraso. Inviabilizou as prévias do PSDB {{sim, houve, mas quantos candidatos abriram mão por conta de seu ‘peso’?!}}, agregou desavenças dentro do próprio partido e conseguiu unir a maior rejeição que ele mesmo já viu. E foi pouco.

{{o blog ainda não conseguiu apurar se a foto foi por conta de um pum ou por notar os erros cometidos}}

O diretório do PSDB do Jabaquara, na Zona Sul da capital paulista, anunciou que ficará ao lado de Chalita mesmo que os tucanos tenham seu candidato próprio na disputa: o ex-governandor José Serra.

{{não acredite em mim – Terra Magazine}}

Como fosse isso pouco, foi incapaz de aliar-se ao PMDB de São Paulo {{onde está o Quércia quando se precisa dele, não é mesmo?!}}, depois da prolongada amizade {{só que ao contrário}} com Chalita.

O antigo aliado {{sim, é piada, pode rir}} Alckmin faz pouco ou muito pouco para sair em seu favor. FHC até tenta, mas não agrega votos novos.

O que resta a José Erra? Paulinho da Força, na contramão da história do Brasil, tentando se construir como um novo Lula e que, perde até mesmo o apoio dos sindicatos que, em São Paulo, estão com Brizolla Neto e com Haddad. Resta Silas Malafaia e seu rancor anti-gay, numa tentativa desesperada de agregar votos evangélico-Russomânicos.

Mas o voto em Russomano é um voto de oposição. E as pesquisas mostram que a maioria deles está também com Haddad. Resta então o atual prefeito Gilberto Aquassab e seus incríveis 18% de aprovação. Resta o apoio solitário de Soninha, embora os eleitores dela, segundo o ibope, estejam com Haddad.

E agora, José? Agora resta jogar na cara do povo um mensalão que pouco ou quase nada muda na classe mais pobre, justamente onde ele não tem votos. E resta esconder o mensalão ao receber o glorioso apoio do PTB, de Roberto Jefferson.

Resta falar das taxas do PT e negar que seja bom fazer o Controlar sem taxa. Resta uma incoerência cada vez mais difícil de esconder. Resta assistir inimigos históricos do PT dizendo que vão anular ou votar no PT, porque em Erra não dá mais.

José Erra não está apenas só. Está só com Malafaia, Jefferson, Kassab e Soninha. Era melhor estar só.

Em tempo: a frase que dá título ao post foi tirada de diversos tweets, cuja autoria não pudemos reconhecer…

Compatilhar
Share

É curioso o bastante para falar sobre qualquer assunto e inteligente o bastante para saber que quase sempre estará errado.