Há em todo partido e em todo político uma dose cavalar do que chamo de umbiguismo. Umbiguismo, por assim dizer, é o ato ou efeito de ter no umbigo a maior das preocupações da vida. Ainda que para isso você precise deixar de lado a conjuntura política e o apoio que sua legenda precisa.

No PT há  uma dupla que reflete bem o que isso quer dizer…

{{crédito da foto:  Andre Correa - PT no Senado}}

{{crédito da foto: Andre Correa – PT no Senado}}

 

Suplicy guarda uma certa mágoa por ter sido preterido em 2002, ele queria ter sido o candidato. À época houve um início de prévias no PT, posteriormente abandonada pelo próprio Suplicy.

suplicy

A história, todo mundo sabe. Suplicy não foi candidato a presidente, Lula ganhou as eleições.

Mas como se conformar não é típico dos que têm o umbigo acima da lealdade política, em 2006 Suplicy tenta uma certa manobra para ver se o partido finalmente o vê como candidato…

suplicy2

Em meio a campanha para a reeleição o senador diz que vai se esforçar… Mas por via das dúvidas, alimenta o principal argumento da oposição, né?

Se é verdade que sua atuação no senado sempre foi digna de elogios, Suplicy {{o Dudu, no caso}} em sua pretensão pública sempre se manteve afastado o quanto pôde do partido, na esperança de garantir os votos da classe média que, apesar do ódio ao PT, sempre foi fiel ao senador. Ou quase sempre, né?

Mas como fogo amigo pouco é bobagem, Dudu continuou sua saga sou PT pero no mucho…

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) fez uma defesa veemente da liberdade de expressão e da blogueira cubana Yoani Sanchez, dissidente do regime, que está em visita ao Brasil. O parlamentar mandou um recado para as pessoas que têm protestado de maneira agressiva contra Yoani Sánchez.

{{não acredite em mim – Senado Federal}}

O mais triste é o final desta história. Nas eleições de 2014, o PT de São Paulo, deficiente de quadros históricos que sempre fizeram o papel de puxadores de voto {{ou seja aqueles candidatos a deputado federal que certamente teriam mais votos do que o necessário para se eleger, trazendo mais deputados para a bancada petista}}, pede que Suplicy abandone a candidatura ao senado e concorra para deputado federal.

Suplicy nega veementemente e diz que só abre mão de concorrer ao Senado se Lula quiser a vaga. Diz isso porque até os meus cachorros sabem que Lula nunca quis ser candidato a nada {{como não quer ser candidato em 2018, apesar do que a imprenÇa diz}}.

O resultado é sabido por todas e todos. Suplicy teve 6 milhões de votos e não se reelegeu senador. O PT perdeu 18 cadeiras, no total, na Câmara dos Deputados. O fraco desempenho do PT de SP é uma das explicações.

Para se ter uma ideia, o candidato mais votado para a Câmara dos Deputados em São Paulo foi Celso Russomano, com 1,5 milhão de votos.

Não se pode afirmar que Suplicy teria 6 milhões de votos para a Câmara, obviamente. Mas não faria 1 milhão de votos?  O petista paulista mais votado teve pouco mais de 200 mil votos, Andréz Sanches.

Uma aula de como o umbigo pode trazer malefícios ao partido e à própria candidatura.

 Marta é um caso semelhante. Suas pretensões sempre se mantiveram em São Paulo. Nunca engoliu a escolha do partido por Mercadante para a disputa do governo estadual.

marta

Para se ter uma ideia da conjuntura geral, basta ler:

Única prévia
São Paulo é o único Estado do país onde o PT realiza prévias para as eleições deste ano. Nos demais, já houve ou está havendo acordo para a indicação do nome do candidato. Entre os pré-candidatos petistas a governador estão Vladimir Palmeira (Rio de Janeiro), Olívio Dutra (Rio Grande do Sul), Flávio Arns (Santa Catarina) e Wellington Dias (atual governador do Piauí).

Trata-se da quarta prévia paulista para a definição do candidato a governador. A primeira foi nas eleições de 1994.

Na campanha, Mercadante aliou o seu nome ao do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Faixas do senador trazem a frase “São Paulo avante, com Lula e Mercadante”, enquanto as faixas da ex-prefeita têm escrito “Com Marta, o PT é mais forte”.

{{não acredite em mim – UOL}}

Em 2010 Marta concorre ao Senado e vence. Em 2012 Lula enfia goela abaixo dela o Haddad como candidato à prefeitura de São Paulo pelo PT. Marta, como se sabe, não ganhou sequer a reeleição para a prefeitura. Fez aquela campanha bonita, insinuando que Kassab é gay {{ele é, mas obviamente isso não é relevante para a escolha de um ser humano a um cargo público}} e perdeu. Mas, como ego pouco também é bobagem…

marta2

~~Teria ganho~~

Daí que o tempo passa, a Senadora vira Ministra. A Ministra resolve soltar no início da campanha para a reeleição que o partido precisa fazer uma reflexão e, enfim, colocar o Lula de novo.

————————————Pausa para fofocas ministeriais————————————

Dilma – e isso você está sabendo em primeira mão pelo blog – escolheu Juca Ferreira como seu novo Ministro da Cultura. Há um certo rumor de que o PMDB quer a pasta dos Esportes o que deixaria o PCdoB entre Ciência e Tecnologia e Cultura. O PCdoB prefere a Cultura com o nome de Manuel Rangel.

Mas, confirmam minhas fontes, é apenas rumor. Juca já se despediu do secretariado em São Paulo, Haddad já recebeu um ultimato da área da cultura de que o substituto deve ser um nome próximo ao Juca {{e as fofocas indicam Nabil ou Manevy. Manevy que estaria cotado para cuidar do Teatro Municipal}}

————————————Fim da Pausa para fofocas ministeriais————————————

Fato é que Marta brigou com Dilma e saiu soltando faísca. Em carta pública afirma:

Todos nós, brasileiros, desejamos, neste momento, que a senhora seja iluminada ao escolher sua nova equipe de trabalho, a começar por uma equipe econômica independente, experiente e comprovada, que resgate a confiança e credibilidade ao seu governo e que, acima de tudo, esteja comprometida com uma nova agenda de estabilidade e crescimento para o nosso país. Isto é o que hoje o Brasil, ansiosamente, aguarda e espera.

Bacana, né? Em meio a um final de governo turbulento um nome forte do partido faz coro às críticas da ImprenÇa e o faz publicamente…

Mas isso ainda é pouco… O verdadeiro golpe vem de outro lado: Marta quer boicotar a candidatura de Haddad à reeleição em 2016.

Parece especulação, mas…

“Entendemos como prematuras as especulações sobre a sucessão municipal em São Paulo. A principal tarefa, neste momento, é ajudar o prefeito Fernando Haddad a colher os frutos que vem plantando, seja na maturação dos projetos que estão sendo implantados desde janeiro de 2013, seja no cumprimento dos pontos estabelecidos no Programa de Metas 2013-2016. Com isto, estaremos construindo as condições necessárias para a reeleição do prefeito Haddad”, diz a nota assinada pelos vereadores Antonio Donato, Vava, Reis, Juliana Cardoso e pelo presidente da Câmara, José Américo.

{{não acredite em mim – Estadão}}

A cereja do bolo ? Bem, a cerejinha é essa:

 martaesuplicy{{não acredite em mim – Exame}}

Alguém chame a Super Nanny, o PT tá precisando…

Compatilhar
Share

É curioso o bastante para falar sobre qualquer assunto e inteligente o bastante para saber que quase sempre estará errado.