O Escândalo da Petrobras tem alguma relação com a queda das ações da Petrobras na bolsa? A resposta, simples, contundente e contrária ao que a ImprenÇa te faz pensar todos os dias é: não.

O ImprenÇa e inicia agora uma série de explanações simples, didáticas e leves {{se me permitem deixar de lado a humildade}} a respeito das maiores celeumas, cismas e pinimbas que a ImprenÇa cria em sua cabeça. Vamos {{os #JornalistasLivres e este blog}} tentar destrinchar esse tema, que não é binário como induz o cartel da mídia.

Escândalo da Petrobras: as ações

{{Crédito da foto: Peninqué}}

 

A primeira coisa que todo ser humano {{e não humano}} devia ter claro na mente, quando o assunto é bolsa de valores, é: bolsa é especulação. As ações X caíram? Alguém lucrou com isso. Ou lucrará. As ações Y subiram? Fulano lucrou com isso. Ou lucrará.

A segunda coisa que todo bicho que respire tem de saber sobre bolsa de valores é que existem ações de curto prazo e ações de longo prazo.  Ação de curto prazo é ação de uma empresa que está momentaneamente em baixa, mas com algum indicativo de alta em breve.

A lógica é simples, você compra hoje a R$10,00 as ações e vende semana que vem a R$15,00.

Não é o caso da Petrobras. As ações da Petrobras são ações de longo prazo. Você compra elas em baixa {{tipo já, vai lá correndo que daqui 2 anos teu rico dinheiro se multiplicará}} e espera para vendê-las daqui 1, 2 ou 5 anos, quando melhor achar.

Ok, ok. Mas por que demônios as ações caíram? Aposto que é por conta do Escândalo da Petrobras.

Errou feio, amiguinha, errou rude. Vamos a uma breve e definitiva explanação:

  • Alta do dólar

 

Ao contrário do que você vai ler por aí, o dólar não subiu por culpa da Dilma ou do belzebu. Aliás, é bom lembrar, o mundo não é binário. Não preto ou branco. Tem uma porção de cinzas entre eles. O dólar tá nesse cinza {{e não, não farei referência a 50 tons de machismo cinza}}.

Vejamos a ilibada {{sim é uma piada}} folha de São Paulo, falando sobre o dólar:

A valorização {{do dólar}} decorre do início da injeção de recursos por meio da compra de títulos públicos pelo Banco Central Europeu e da perspectiva de aumento de juros americanos neste ano.

O euro, que já caiu 13,1% diante do dólar desde o início do ano, recuou para menos de US$ 1,07 por unidade em Londres, menor valor em quase 12 anos. A expectativa de analistas é que a moeda europeia e o dólar cheguem na paridade ainda neste ano.

{{não acredite em mim – folha de São Paulo}}

O dólar sobe, o preço do barril de petróleo cai. O preço das commodities cai.

Commodities é um termo bonitinho e complexo que significa algo, na verdade, bem simples:  um bem ou serviço que pode ser trocado por outro {{café, trigo, etc; minério de ferro, cobre, etc;}}

É assim, sempre foi assim, continuará sendo assim. Barril de petróleo valendo pouco, ações também passam a  valer menos.

  • OPEP não faz força para subir o preço do barril de petróleo

 

Em geral quando o preço do barril de petróleo cai muito, a OPEP {{Organização dos Países Exportadores de Petróleo}} diminui sua produção. Diminuindo a produção, menos petróleo fica disponível, o preço sobe. Ladainha padrão do capitalismo.

Mas por que agora ela não faz essa força? Porque, o petróleo ficando barato, as fontes alternativas de energia deixam de ser lucrativas. Basicamente é uma manobra para derrubar a concorrência. Quem poderia evitar que isso ocorresse? Os EUA. Mas quem tem os maiores prejuízos com o petróleo valendo pouco? Os países que vivem exclusivamente da venda dele. Daí você lembra: Venezuela, Irã… É um bom negócio para os EUA, também.

Ainda não se convenceu de que não se trata do escândalo da Petrobras? Confira:

{{não acredite em mim - Exame}}

{{não acredite em mim – Exame}}

 

{{não acredite em mim - nasdq}}

{{não acredite em mim – nasdaq}}

Conclusão

É verdade que a corrupção influencia no valor da ação ? De forma decisiva, não. Mas, como bolsa é também especulação, uma parte pode ser atribuída a isso.

Mas não dá para engolir {{UEPA!!}} a ideia {{da folha, por exemplo – não acredite em mim}} de que a Lava Jato é a responsável por isso. Não é, nem de longe, a razão principal. A alta do dólar, a opção da OPEP por não atuar na alta do barril e a falta de pressão dos EUA para isso {{com o intuito de enfraquecer países que dependem do petróleo, como Venezuela}} são, de fato, as grandes causas das ações caírem.

Mas, como diria nosso amigo, NÃO PRIEMOS CÂNICO! Para deixar um gostinho feliz na boca da leitora e do leitor, veja o que indica um certo site financeiro…

{{não acredite em mim - Infomoney}}

{{não acredite em mim – Infomoney}}

Compatilhar
Share

É curioso o bastante para falar sobre qualquer assunto e inteligente o bastante para saber que quase sempre estará errado.

  • Pingback: Be a bá da Petrobras: As ações | Ouro de Tolo x()

  • Neto

    Pela sua lógica, não seria mais conveniente para os EUA fazer com que as fontes alternativas passassem a ser cada vez mais viáveis para, ao invés de os importadores comprarem o petróleo mais barato, investirem nas energias renováveis ou então comprarem o petróleo mesmo em alta, mas em quantidades cada vez menores – prejudicando assim os exportadores?

    P.S.: OPEP (Organização dos Países EXPORTADORES de Petróleo)

    • Oi Neto!

      Os EUA não preferem o barril do petróleo baixo, eles apenas não pressionam a OPEP porque sabem que estão enfraquecendo opositores históricos, como Irã e Venezuela.

      Os EUA têm muito mais a ganhar com o petróleo que com as fontes alternativas, mas eles podem segurar essa situação… Já a Venezuela e o Irã que dependem exclusivamente do petróleo…

      Quanto ao “Exportadores”, tem toda razão. É o que o Freud chama de ato falho, rs.

      Abs

  • Pingback: Editorial: impeachment da Dilma?()