Depois de arremessar flores ao chão após ser questionado sobre o programa Atropela SP, em que as velocidades das marginais foram aumentadas, agora ele começa uma caçada jurídica a quem o critica. Bem ao estilo criança mimada. Mas vamos aos retrocessos.

Mobilidade Urbana

 

{{não acredite em mim – folha}}

O programa Atropela SP continua sendo um sucesso. Recentemente a PM {{esse órgão comunista bolivariano, fruto do Foro de SP}} afirmou que houve aumento de 51% nos acidentes com vítimas nas marginais, em comparação ao mesmo período do ano passado, quando a velocidade ainda era reduzida.

O prefeito, esperto que só ele, tem a resposta para o resultado:

{{não acredite em mim – folha}}

A lógica é a seguinte: mudou o ano, a lua que estava em Saturno foi para Júpiter e com isso os motoristas passaram a ser imprudentes. Nenhuma relação, portanto, à mudança de velocidade. Basicamente a culpa é sua que está andando por aí distraído.

Mostrando que entende mesmo é de povão, Dória ainda deixou a dica:

Higienismo

 

O vídeo acima parece ter sido feito por um cinegrafista amador. Mas a verdade é que é o viral promocional do mais novo Programa de Política Pública do Jestor Dória JÚNIOR, ou Juninho para os íntimos.

O programa se chama Porrada Linda e é voltado à população de baixa renda, em especial às pessoas em situação de rua. E no que consiste o programa tão inovador? Basicamente a população-alvo recebe inteiramente grátis socos, pontapés e rasteiras. Após a fase inicial o sujeito {{ou sujeita}} é levado para o hospital onde recebe atendimento especializado. Depois disso a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social te arruma um emprego:

{{não acredite em mim – Prefeitura Municipal de São Paulo}}

 

O morador utilizado para o projeto piloto acabou perdendo o emprego no qual iria trabalhar, mas tudo bem, Juninho resolveu essa para ele. É claro que há sempre uma contrapartida exigida pelo poder público, até para que os beneficiários deem valor ao programa:

 

O prefeito ainda deixou um recadinho:

Educação

Depois de cortar cartolina, tinta guache e sulfite para as escolas {{não acredite em mim}}, agora Juninho, o riquinho, instituiu um novo modelo educacional. Para preparar as crianças para a vida, que não é brincadeira, ele resolveu inovar mais uma vez:

{{não acredite em mim – Agora SP}}

 

Vamos por entre aspas para ressaltar todo o conhecimento pedagógico de Juninho – O prefeito: “Aos pais e a essas crianças a prioridade é educar. O brincar, o confraternizar… é um complemento”.

Um pensamento tão novo que já foi refutado em 1935, quando Mário de Andrade {{mais um comunista bolivariano fruto do Foro de SP}} idealizou espaços onde as crianças pudessem aprender brincando. Mas Juninho – O prefeito – sabe o que faz, certamente.

Zeladoria

 

Após a reclamação de cidadãos e órgãos de imprensa sobre a zeladoria estar em falta com seus compromissos, Juninho resolveu revolucionar. Ele está lançando o concurso “O bairro mais lindo do mês” onde os moradores do bairro passarão por um gincana {{calma, não tem corrida de saco}} que ele chamou de mutirão de limpeza. Basicamente os cidadãos vão doar seu tempo livre para fazer o serviço que por lei cabe à prefeitura, que é o de cortar mato, pintar parede e muito mais. Já imagino o sucesso em bairros como Morumbi, Itaim Bibi e Jardins.

Todas as madames e os senhoures com luvinhas e rolos de pintura, a sujarem seus sapatos italianos com tinta fresca {{atenção para o trocadilho proposital com a palavra fresca. Pela atenção, muito obrigado}}.

{{não acredite em mim – Veja São Paulo}}

 

Democracia

 

Afeito que é aos ditames democráticos, Juninho acionou o escritório de advocacia que até pouco tempo pertencia a seu Secretário de Negócios Jurídicos para, digamos, dar aquela espiadela nas redes sociais:

{{não acredite em mim – Revista Fórum}}

 

Esquecemos de alguma coisa? Não deixe de nos avisar!

Compatilhar
Share

É curioso o bastante para falar sobre qualquer assunto e inteligente o bastante para saber que quase sempre estará errado.