Secundaristas foram impedidos de fazer o trajeto combinado e ato termina com bombas de efeito moral, balas de borracha e 7 adolescentes apreendidos

Cerca de 50 estudantes secundaristas realizaram nesta terça-feira, 25 de setembro, um ato contra a reforma do ensino médio, que passa por audiências públicas para a definição da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A reforma divide especialistas e é cheia de polêmicas.

O ato, marcado através das redes sociais, pretendia sair da estação Hebraica-Rebouças da CPTM, às 16 horas. Depois de uma assembleia os estudantes decidiram que o trajeto seria até a porta da Rede Globo de Televisão, mas foi impedido de sair pelo comando da Polícia Militar, presente no local.

Após nova assembleia decidiram caminhar até a esquina da avenida Faria Lima com a avenida Rebouças, importante cruzamento no centro novo da cidade. Foram novamente impedidos de sair pela PM de São Paulo. Os estudantes então fecharam suas faixas e caminharam separadamente até o local combinado em assembleia, com a intenção de realizar trancaço – quando manifestantes ocupam as faixas de trânsito, impedindo a passagem dos carros.

Ao chegar no local, com o semáforo já fechado, os estudantes ocuparam a faixa de pedestres e iniciaram o protesto. Quando o trânsito começou a se acumular a Polícia Militar iniciou uma breve negociação com os secundaristas. A negociação estava ainda em andamento quando a Força Tática – braço especializado da PM – iniciou a dispersar os adolescentes, ainda de maneira pacífica.

Foi quando um policial militar da força tática jogou sua moto em cima de uma das estudantes, causando revolta geral. Quando os fotógrafos se aproximaram para registrar a cena, a mesma força tática que interrompeu a negociação da PM começou a jogar bombas de gás lacrimogênio nos manifestantes, que fugiram para dentro do metrô. Nada que impedisse a força policial de seguir jogando bombas e dar tiros de borracha em direção ao próprio metrô de São Paulo, colocando em risco não só os manifestantes, como transeuntes e passageiros que saíam da estação.

O ato encerrou com 5 jovens mulheres sendo apreendidas e dois jovens negros na mesma situação. Os jovens foram encaminhados ao 14º Distrito Policial.

Fotos: Gustavo Oliveira
Texto:
Victor Amatucci, com informações de Gustavo Oliveira

Confira as fotos do ato, pelas lentes de Gustavo Oliveira

Resumo
Ato contra a Reforma do Ensino Médio termina em bomba e apreensões
Título
Ato contra a Reforma do Ensino Médio termina em bomba e apreensões
Descrição
Ato de secundaristas, na cidade de São Paulo, termina em bombas de gás lacrimogêneo e adolescentes sendo apreendidos. 5 mulheres e 2 homens foram encaminhados ao 14º DP.
Autor
Veículo
ImprenÇa
Logo do Veículo
Inscreva-se em nossa Newsletter

Inscreva-se em nossa Newsletter

Não perca nenhum conteúdo. Não se preocupe, seu e-mail não será repassado a ninguém.

Obrigado, sua inscrição foi feita!

Compartilhar

Compartilhe esse artigo!